Fogo de Sintra e Cascais combatido por 753 operacionais

    O incêndio que deflagrou no sábado na serra de Sintra, Lisboa, estava a ser combatido por 753 operacionais e 223 meios terrestres e sete meios aéreos

    Protocolo assinado em 2018, no âmbito do , Programa "Aldeia Segura, Pessoas Seguras", nas povoações de Banzão e Mucifal, Colares e Vinagre e Eugaria e Gigaroz, na freguesia de Colares | Foto: arquivo

    O incêndio que começou no sábado na serra de Sintra, Lisboa, obrigou à retirada de 300 pessoas do parque de campismo de Cascais e de 47 de várias localidades e fez 18 feridos ligeiros, segundo os últimos dados da Proteção Civil.

    Dezoito pessoas ficaram feridas ligeiramente, nove dos quais eram bombeiros, que foram “assistidos no local e que já regressaram ao teatro de operações”, disse o comandante distrital de Lisboa da ANPC, André Fernandes, num ‘briefing’ da Proteção Civil, onde esteve presente o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreira.

    Relativamente à retirada das pessoas do parque de campismo de Cascais, o comandante André Fernandes disse que foi “a maior evacuação por precaução” e que decorreu “dentro da normalidade, não havendo vítimas a registar nem danos materiais”.

    Foram ainda retirados 70 animais do Clube D. Carlos e do Centro Hípico do Estoril, na Charneca, que foram levados para o hipódromo Manuel Possolo, em Cascais

    O comandante distrital de Lisboa da ANPC assegurou que “vão ser feitos todos os esforços para dar o incêndio como dominado hoje”, sublinhando que, neste momento, não há povoações em risco.

    Às 10h45 estavam a combater o incêndio 753 operacionais com 223 meios terrestres e sete meios aéreos, de acordo com a página de internet da Proteção Civil.