Segunda Circular | arquivo

A Câmara de Lisboa vai pedir ao Ministério Público para investigar o concurso da Segunda Circular, anulado pela autarquia, uma vez que a auditoria interna admite que o projetista poderá ter prejudicado as empresas concorrentes, anunciou hoje a autarquia.

“A comissão [que realizou a auditoria interna] não aponta para que exista nenhum crime nem nenhuma ilegalidade grave. O que acontece é que o concurso poderá ter sido prejudicado, na [vertente da] livre concorrência, pela forma como o projetista se portou desde o início”, disse à agência Lusa o vereador das Finanças do município, João Paulo Saraiva.