A candidatura à Câmara será encabeçada por Francisco Guerreiro, atual assessor parlamentar do deputado André Silva

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza concorre pela primeira vez, e com listas próprias, à Câmara e Assembleia Municipal de Cascais. A candidatura à Câmara será encabeçada por Francisco Guerreiro, atual assessor parlamentar do deputado André Silva. Para a Assembleia Municipal, a lista tem na sua liderança Sandra Marques, comissária política nacional do partido.

A candidatura tem como principais preocupações os impactos e a mitigação das Alterações Climáticas e o redesenhar do urbanismo, pelo que uma prioridade do PAN Cascais passa pela regeneração verde e multifuncional do espaço público.

Através da reabilitação e renaturalização dos corredores verdes naturais, “pretende-se interligar as comunidades locais e criar uma rede dinâmica de interações ecológicas, sociais e culturais da periferia ao centro do concelho. A reabilitação das oito ribeiras, de percursos rurais e a renaturalização de corredores ecológicos degradados melhorará a qualidade da vida socioeconómica e ecológica através de um espaço público mais coeso, sustentável, verde, seguro e aprazível para os Cascalenses”, destaca o PAN.

“O desafio da transição para a sustentabilidade dá-nos a oportunidade única de pensarmos o concelho de modo integrado. Consideramos urgente reabilitá-lo e renegerá-lo tendo em conta o interior e o litoral num projeto que una todo o concelho e todos os seus habitantes”, afirma Sandra Marques, candidata à Assembleia Municipal.

A candidatura irá também propor a implementação de um projeto piloto para um Rendimento Básico Incondicional (RBI) no concelho. A candidatura deseja que Cascais seja pioneira no estudo de novas soluções económicas e sociais para o flagelo da pobreza, da segregação social, do desemprego e da iniquidade económica.

“Cascais deve ser um exemplo do progresso social e económico, daí a nossa proposta para implementarmos um projeto piloto do RBI. Temos a possibilidade de, conjuntamente com a Câmara, o Estado, e outros agentes sociais, unir esforços e trabalhar num estudo que nos possibilite aferir as vantagens e desvantagens da aplicação de um RBI a nível local. Sermos pioneiros pressupõe implementarmos hoje o futuro que desejamos ver construído para o nosso concelho”, afirma Francisco Guerreiro, candidato à Câmara Municipal.

O PAN Cascais acredita que para o melhor exercício da democracia local não deverá haver maiorias absolutas. Este fator implica a procura de um pacto de governação entre todos os partidos que priorize e integre o máximo de visões políticas, sociais e económicas para a vila.

Partilhar